Agende sua consulta

Orquite

A orquite é a inflamação de um ou dos dois testículos causada, na maioria dos casos, por vírus, mas também pode ser causada por bactérias ou trauma local. A doença pode ser aguda ou crônica e se estender ao epidídimo, quando é chamada de orquiepididimite.

Qual a relação da caxumba com a infertilidade masculina?

A caxumba é uma doença infecciosa causada por vírus. É transmitida por gotículas de saliva, pelo espirro, tosse ou compartilhamento de talheres com pessoas infectadas. Essa inflamação acontece frequentemente nas glândulas parótidas (que ficam atrás das orelhas) e isso causa bastante dor local, além de mal-estar e febre. Eventualmente, o vírus também se instala nos testículos, causando a orquite. O vírus da caxumba é um dos maiores responsáveis pela orquite e é a causa mais preocupante porque pode levar à infertilidade, se adquirida por homens depois da puberdade. Estima-se que até 40% dos adultos jovens acometidos pela parotidite possam evoluir com orquite e metade dos adultos jovens atingidos pela orquite possam ficar inférteis depois da infecção.

Ao se instalar nos testículos, o vírus destrói as células que produzem os espermatozoides e por isso pode ocorrer a infertilidade.

A prevenção da caxumba e consequentemente da orquite viral ocorre com a vacinação realizada na infância. Devemos ainda evitar o contato com pessoas contaminadas.

A orquite também pode ser causada por bactérias, como a Escherichia coli, por traumatismo, torção dos testículos ou infecção por gonorreia e clamídia. Já a orquite bacteriana afeta, de modo geral, o epidídimo e é causada principalmente pela bactéria Mycobacterium sp, mas há outras que podem provocar a doença, como a Haemophilus e Treponema pallidum.

Sintomas

A orquite só apresenta sintomas quando se manifesta em sua forma aguda. A orquite crônica costuma ser assintomática.

Assim, os principais sintomas da orquite aguda são:

  • Inchaço e dor nos testículos que pode se irradiar;
  • Vermelhidão na região escrotal;
  • Sangue na ejaculação e/ou na urina;
  • Febre e mal-estar em alguns casos.

Exames e diagnóstico

A orquite é facilmente identificada durante o exame físico. No entanto, às vezes são necessários exames complementares para estabelecer o diagnóstico da doença ou determinar qual o melhor medicamento para tratá-la.

Os mais solicitados são:

  • Exames de sangue, como hemograma e PCR;
  • Pesquisa de micro-organismos na urina ou ejaculado;
  • Ultrassonografia da bolsa escrotal.

Tratamento

O tratamento depende da causa da orquite, mas algumas recomendações são gerais, como repouso, uso de anti-inflamatórios e a aplicação de compressas geladas na região para aliviar a dor e diminuir o inchaço.

O tratamento da orquite viral é feito também com analgésicos e antitérmicos. Já o tratamento da orquite bacteriana requer o uso de antibióticos para que a doença seja totalmente curada.

Quando o tratamento é feito correta e rapidamente, a orquite bacteriana não deixa sequelas e a recuperação é completa.

A sequelas mais graves da orquite são a infertilidade e a atrofia testicular. Para a prevenção da infertilidade relacionada à orquite, no caso da orquite bacteriana, devemos iniciar precocemente o tratamento. No caso da orquite associada à caxumba, a melhor maneira de evitar essa consequência é a vacinação da criança na idade adequada e evitar contato com pessoas infectadas. A vacinas atualmente utilizadas são tríplice (para sarampo, caxumba e rubéola) e a tetra viral (para sarampo, caxumba, rubéola e varicela).

 

Compartilhar:
Última postagem do blog

O que é e como é feita a doação de embriões?

A doação de embriões é mais uma alternativa para a tão sonhada gravidez. Ela é possível graças à fertilização in vitro (FIV), que é indicada para a maioria dos casos de infertilidade. Durante o seu processo, o número de embriões […]

Leia mais
Agende sua
consulta

Verifique o horário disponível que melhor encaixa na sua agenda.