Agende sua consulta

Como é realizado o papanicolaou?

O papanicolaou é um exame citológico que tem a finalidade de analisar alterações celulares no colo uterino. Trata-se de um procedimento simples e rápido, mas que deve ser realizado regularmente, uma vez que é considerado um recurso preventivo de alta eficácia.

Também geralmente é realizado antes de procedimentos de reprodução assistida, como a FIV (fertilização in vitro).

Ao longo deste texto, falarei sobre como é feito o exame do papanicolau. Para iniciar o texto, explicarei o que é o colo do útero e quais suas funções no organismo feminino. Em seguida, apresento detalhes sobre o procedimento e sobre a análise citológica.

Para ter essas e outras informações importantes acerca do assunto, continue a leitura!

Quais as funções do colo do útero?

O colo uterino, também definido como cérvix, corresponde à parte inferior do órgão, cuja abertura se localiza no fundo da vagina. O útero é o maior órgão do sistema reprodutor da mulher e sua principal função é acolher o feto ao longo de todo o seu desenvolvimento, desde a nidação — momento que o embrião se fixa na parede uterina — até o nascimento.

O útero é conhecido pelo seu formato semelhante a uma pera invertida. Assim, o colo uterino é a parte baixa e mais estreita do útero e ocupa o limite entre os órgãos externos e internos da região pélvica da mulher.

O colo uterino faz a ligação entre o interior do útero e o canal vaginal e, desse modo, participa da eliminação da menstruação, bem como viabiliza a entrada dos espermatozoides. Outras importantes funções dessa parte do corpo são: proteger a cavidade interna de agentes patógenos, manter o feto seguro durante a gestação e abrir passagem para o bebê no parto vaginal.

Contudo, assim como outras partes do aparelho genital, o colo do útero está sujeito a contrair infecções e desenvolver sérias patologias, como o câncer cervical, que é investigado no exame de papanicolau.

Como é realizada a coleta no papanicolaou?

Para a realização do papanicolau, é recomendado que a paciente não tenha relações sexuais nos dois dias anteriores ao exame e não utilize medicamentos intravaginais nesse intervalo de tempo. Outra recomendação é que a coleta seja feita fora do período menstrual. Qualquer uma dessas condições pode interferir nos resultados do teste.

O exame é realizado da seguinte forma: a paciente retira a parte de baixo da roupa, se deita em uma maca e permanece em posição ginecológica, enquanto o profissional (médico ou enfermeiro) introduz o espéculo em sua vagina. Com esse instrumento, é possível manter o canal vaginal aberto e inspecionar o interior do órgão, sobretudo o colo do útero.

Em seguida, o colo do útero é ligeiramente descamado com a ajuda de uma espátula e uma escova endocervical, próprias para o procedimento. Depois disso, as células coletadas são colocadas em uma lâmina e enviadas para análise citológica.

O papanicolaou é um exame rápido e, normalmente, não causa dor. Contudo, o procedimento pode ser desconfortável, principalmente se a paciente não conseguir relaxar a musculatura da vagina no momento de ajustar o espéculo. A experiência e a habilidade técnica do profissional também fazem diferença.

Após o exame, pode ocorrer um leve sangramento, mas a paciente pode retornar às suas atividades normalmente.

Como é feita a análise do material coletado?

A avaliação do material colhido no papanicolaou é feita em laboratórios de citopatologia. Se o resultado for negativo para câncer, o próximo exame é realizado após um ano. Caso a análise identifique infecção por HPV ou lesão de baixo grau, o teste deve ser repetido após seis meses.

Nos casos de lesão de alto grau ou diagnóstico de câncer do colo do útero, o médico pode solicitar outros exames, como colposcopia, e definir a melhor forma de tratamento.

Quando o papanicolaou é indicado?

O papanicolaou deve ser realizado regularmente por mulheres com mais de 21 anos. A periodicidade, segundo o Ministério da Saúde, é de uma vez ao ano para os primeiros exames. Após dois resultados sem alterações, a análise pode ser feita a cada três anos. Entretanto, o intervalo entre os testes pode ser menor, conforme o histórico de saúde da mulher.

Quais doenças o exame detecta?

O papanicolaou é fundamental para prevenir e diagnosticar o câncer do colo do útero, um dos quadros oncológicos com maior prevalência entre as mulheres.

Além dessa patologia, o exame também pode identificar problemas como candidíase e HPV — que, inclusive, é uma doença que pode originar o câncer cervical. Algumas infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) com manifestação de lesões ou secreção também podem ser identificadas.

Por que o papanicolaou é importante na reprodução assistida?

Apesar de não confirmar os quadros de infertilidade feminina, o papanicolaou é um exame essencial para iniciar um processo de reprodução assistida. Isso porque a análise citológica ajuda a detectar infecções e, principalmente, o câncer do colo uterino — problemas que podem dificultar a concepção ou até trazer riscos para a mãe e para o feto.

Tanto as mulheres que têm o desejo de engravidar quanto as demais precisam realizar o papanicolaou com a periodicidade indicada. Dessa forma, é possível prevenir doenças graves ou iniciar o tratamento precocemente.

Agora, você pode ajudar a conscientizar outras mulheres sobre a importância do papanicolau. Faça isso compartilhando nosso post em suas redes sociais!

Compartilhar:
Uretrite: sintomas mais comuns
Deixe o seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *