Agende sua consulta

Como identificar um ciclo menstrual irregular e o que fazer para engravidar?

A menstruação faz parte da vida da mulher desde a puberdade até o início da menopausa. Esse longo relacionamento é cercado de dúvidas, especialmente para as mulheres que têm um ciclo menstrual irregular.

Nem sempre a menstruação funciona como um relógio. Diversos fatores podem alterar a duração do ciclo entre um período e outro. Uma diferença de poucos dias não é motivo para preocupação. Porém, se a irregularidade não é passageira e vem acompanhada de outros sintomas, é importante investigá-la.

O ciclo menstrual irregular gera muitas dúvidas entre as mulheres, especialmente quando o assunto é gravidez.

Outra dúvida frequente é: quando devo considerar o primeiro dia do meu ciclo menstrual?

Continue a leitura para saber disso e para saber quais fatores influenciam a irregularidade dos ciclos e a sua relação com a fertilidade!

Qual é a diferença entre o ciclo menstrual regular e o irregular?

O ciclo menstrual prepara o organismo para uma gravidez, fazendo com que o óvulo seja liberado pelos ovários para a fecundação e o endométrio — camada que reveste o útero — fique mais espesso. Se a gravidez não acontecer, o endométrio descama causando o sangramento característico do período menstrual.

A duração de um ciclo equivale ao período entre o primeiro dia da menstruação até o dia anterior da próxima. Devemos considerar o primeiro dia do ciclo menstrual o dia da menstruação forte e não aquele “pinga-pinga” que pode acontecer uns dias antes do fluxo mais intenso.

Quando ele é sempre de 28 dias, é chamado de regular. Existem ciclos regulares com outra duração. O mais importante é a variação ser pequena. Quando existe variação maior entre o número de dias de um ciclo para o outro, ele é considerado irregular.

Quais são as causas do ciclo menstrual irregular?

Uma grande parcela das mulheres tem o ciclo menstrual irregular. Ela é proveniente de alterações hormonais, e diversos fatores podem causar esse desequilíbrio. Os principais são: estresse, doenças, síndrome dos ovários policísticos (SOP), medicamentos e atividade física intensa.

Estresse

O estrogênio, principal hormônio sexual feminino, é responsável pelo controle do ciclo menstrual. Um desequilíbrio no nível de estrogênio influencia na regularidade da menstruação.

Quando a mulher está em uma situação estressante, o corpo reage aumentando a produção dos hormônios adrenalina e cortisol. Em contrapartida, o nível de estrogênio diminui.

Doenças

As doenças podem alterar a ovulação de forma similar ao estresse. Nesses momentos, os mecanismos de defesa do organismo estão dedicados a eliminar a doença, afetando o ciclo menstrual.

Síndrome dos ovários policísticos (SOP)

A SOP é uma doença que atinge cerca de 10% das mulheres em idade fértil. Ela é caracterizada pela presença de cistos nos ovários e por interferir na ovulação. Em casos graves, a SOP pode causar infertilidade feminina.

Medicamentos

Os remédios que atuam no sistema nervoso, como os antidepressivos e ansiolíticos, podem desregular a menstruação. Eles atuam nos mesmos receptores cerebrais dos hormônios que controlam o ciclo menstrual.

Outros exemplos são o anticoncepcional oral, quando não é tomado corretamente, e a pílula do dia seguinte, pois a sua grande quantidade de hormônios desregula a menstruação.

Atividade física intensa

Fazer exercícios é excelente para a qualidade de vida e o controle do peso. Porém, quando praticada em excesso, pode afetar a saúde.

As atividades físicas realizadas com frequência e muita intensidade diminuem o nível de estrogênio. Com isso, a menstruação pode ser interrompida.

E as consequências?

Mulheres em idade reprodutiva (entre 15 e 44 anos) que não menstruam ou ficam por, mais de 45 dias sem menstruar devem procurar ajuda médica. A ausência da menstruação pode ser um sintoma de algum distúrbio. Além disso, ciclos menores do que 21 dias, assim como aqueles que duram menos de 2 e mais de 7 dias, também podem representar problemas!

A menstruação irregular, por si só, não é um problema. Porém, quando combinada com outros sintomas, pode ser o indício de alguma doença. A anovulação é uma delas. Ela é definida pela ausência da ovulação e sem a liberação do óvulo não é possível engravidar.

O ciclo menstrual irregular também é um dos sintomas de miomas, SOP, hipotireoidismo, cistos nos ovários e no útero, entre outras condições. Todas elas podem dificultar a gravidez. Nesses casos, o diagnóstico precoce é uma das maneiras mais eficazes de preservar a fertilidade da mulher.

Os ciclos irregulares têm alguma relação com a infertilidade?

Ter relações sexuais durante o período fértil aumenta as chances de engravidar. Para identificar o dia exato da ovulação, o período menstrual deve ser regular. Por isso, muitas mulheres com ciclo menstrual irregular têm dúvidas sobre esse assunto.

O ciclo menstrual irregular não é sinônimo de infertilidade. A mulher pode ter mais dificuldade em engravidar por causa disso, porém não significa que ela é infértil.

Nos casos em que a irregularidade é causada pela anovulação, a mulher deve consultar um médico para analisar as possibilidades de tratamento. Se ela for causada pela SOP e a paciente quiser engravidar, o tratamento é feito por indutores de ovulação.

O ciclo menstrual irregular é caracterizado por não ter o mesmo número de dias em todos os períodos, variando entre 21 a 35 dias. Com isso, é mais difícil calcular o dia exato da ovulação e do período fértil. Por isso, muitas mulheres nessa situação pensam que estão com alguma dificuldade em engravidar.

A irregularidade é causada por diversos fatores e, às vezes, é sintoma de algum problema. Nesses casos, é importante investigar para que não prejudique a fertilidade da mulher.

Agora que você sabe como identificar um ciclo menstrual irregular, compartilhe esse artigo nas suas redes sociais!

Compartilhar:
Freeze-all: conheça a técnica
Deixe o seu comentário: