Agende sua consulta

O que é reversão de vasectomia?

A vasectomia é um dos poucos métodos contraceptivos masculinos, nesse caso o único definitivo. Ela é indicada para homens que buscam uma maneira de não ter mais filhos.

Em alguns casos, por estar em uma nova fase da vida, o homem deseja ser pai novamente. Como esse procedimento o torna infértil de maneira definitiva, ele precisa fazer a cirurgia de reversão de vasectomia ou recorrer à fertilização in vitro (FIV), técnica de reprodução assistida com altos índices de sucesso.

Quanto à reversão da vasectomia, ela reconecta os canais deferentes, que são obstruídos no procedimento original. Dessa forma, os espermatozoides voltam a ser expelidos com o sêmen durante a relação sexual.

Porém, não são todos os homens vasectomizados que podem fazer a cirurgia de reversão e precisam optar pela FIV ou pela doação de sêmen.

Por não ser um procedimento popular, a reversão de vasectomia é cercada de dúvidas. Por isso, as principais serão respondidas neste texto.

Se você quer saber como o procedimento é realizado, quando é indicado e qual é a sua taxa de sucesso, continue lendo!

A reversão de vasectomia

Antes de explicar como ela é feita, precisamos entender o processo da cirurgia de vasectomia. O seu objetivo é provocar a infertilidade por azoospermia obstrutiva. Ou seja, é feita uma obstrução nos canais deferentes para que os gametas masculinos (espermatozoides) não sejam ejaculados com o sêmen.

Os espermatozoides são essenciais na fecundação dos óvulos. Para chegarem até o útero, eles passam por todo o sistema reprodutor masculino: dos testículos, onde são produzidos, até a uretra, quando são ejaculados.

No meio desse trajeto estão os canais deferentes, que conectam os epidídimos às vesículas seminais. A vasectomia faz um ligamento nos canais deferentes para que os espermatozoides não sejam eliminados no sêmen, causando a azoospermia.

Apesar de a vasectomia ser um método contraceptivo definitivo, o homem não perde a sua fertilidade. O procedimento não interrompe a produção de espermatozoides, apenas impede que eles sejam ejaculados com o sêmen. Por isso, a reversão de vasectomia é uma alternativa para os homens que desejam voltar a ter filhos.

Como a técnica é realizada?

A cirurgia de reversão é mais complexa do que a vasectomia e leva, em média, 3 ou 4 horas para ser concluída. Ela reconstrói os canais deferentes obstruídos pela vasectomia.

O paciente recebe anestesia geral e no mesmo dia pode receber alta. Um pequeno corte é feito na bolsa testicular para acessar os canais deferentes. O procedimento é delicado, pois a cirurgia é feita em um local com milímetros de diâmetro. São utilizados um microscópio e fios cirúrgicos próprios para microcirurgias.

Ao final do procedimento, a passagem estará restabelecida e os espermatozoides poderão se juntar ao líquido seminal no momento da ejaculação. Após 45 dias, o paciente deve fazer um espermograma para verificar a qualidade dos espermatozoides.

Em quais situações ela é indicada?

A reversão de vasectomia não é indicada para todos os homens vasectomizados. Por ser uma cirurgia complexa, o médico deve analisar caso a caso para verificar quais são as chances de sucesso do procedimento.

Os fatores mais relevantes são o tempo passado da vasectomia e a idade da parceira. Quanto menor o tempo decorrido entre o procedimento e a sua reversão, melhor, mas não existe um limite predeterminado.

Além disso, com o passar dos anos, a fertilidade da mulher diminui. Se a parceira tiver idade acima de 35 anos, devemos discutir com o casal a opção de utilizar uma técnica de reprodução assistida. Assim as chances de uma gravidez bem-sucedida aumentam.

Qual é a taxa de sucesso da reversão de vasectomia?

Considerando os fatores citados anteriormente, tempo da cirurgia e idade da parceira, a taxa de sucesso da reversão de vasectomia está em cerca de 60%. Essa é a possibilidade de o marido voltar a ejacular espermatozoides e não a chance de gravidez.

A chance de gravidez vai depender de outros fatores, como idade da esposa, a presença de outros fatores que possam diminuir sua fertilidade, como anovulação ou endometriose.

Se o casal não conseguir engravidar naturalmente após o procedimento, eles devem procurar um médico especializado para investigar a possibilidade de infertilidade de um dos parceiros ou ambos.

Qual é a sua relação com a reprodução assistida?

Quando a reversão de vasectomia não é indicada ou não for bem-sucedida, as técnicas de reprodução assistida são uma alternativa para o casal.

Tanto o homem como a mulher devem ser avaliados para verificar se outros fatores estão causando a infertilidade do casal. De acordo com o diagnóstico, o médico pode indicar o melhor método.

A fertilização in vitro por ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoides) é o método mais usado atualmente. Ela tem uma alta taxa de sucesso e é indicada para a maior parte dos casos de infertilidade, inclusive para homens com azoospermia.

Durante o processo, os óvulos e os espermatozoides do casal são coletados e a fecundação acontece em um laboratório. Após a formação dos embriões, eles são transferidos para o útero da paciente.

Os espermatozoides são coletados diretamente dos epidídimos ou dos testículos do parceiro, em casos de azoospermia obstrutiva ou não obstrutiva. Além disso, o casal também pode optar por uma doação de sêmen.

O desejo de ter mais filhos é o principal motivo para os homens buscarem a reversão de vasectomia. Apesar da sua alta taxa de sucesso, o procedimento não é indicado em todos os casos. O tempo decorrido da vasectomia, a idade da parceira e a presença de outros fatores de infertilidade são os critérios mais importantes. Apenas um médico especializado pode indicar a melhor opção para o casal.

Quer saber mais sobre o assunto? Leia o nosso conteúdo completo sobre a reversão de vasectomia!

Compartilhar:
Freeze-all: conheça a técnica
Deixe o seu comentário: